terça-feira, 21 de junho de 2016

A liberdade é o caminho do amor - Fátima Teles

" foi o tempo que dedicaste à tua rosa , que a fez tão importante"


não há tempo perdido com nada e nem ninguém que passa em nossa vida. Todas as pessoas estão destinadas a algum aprendizado.As pessoas que passam em nossa vida de alguma forma aprendem conosco e nós também aprendemos com elas.

a rosa sempre será importante. As rosas serão sempre importantes.Elas representam a estadia das situações e das pessoas em nossa existência.

o tempo de semeadura acontece no seio familiar, nas salas de aula, nos círculos de amizade, nas relações afetivas e amorosas. Tudo é amor, tudo é ensinamento, aprendizado e experiência. E quando chegar o tempo  há que se colher em forma de atitudes, gestos ,para que a despedida e a entrega seja de  saudades e boas lembranças.

a rosa é amada e ama em liberdade. as rosas são amadas e e amam em liberdade.
o amor só pode acontecer em liberdade!
ninguém suporta a pressão de se doar ou de se entregar. As pessoas são como as rosas e por isso florescem melhor estando livres . Cada um (a) de nós tem a sua individualidade e por isso mesmo deve caminhar em busca de ser feliz, de estar feliz. Vivendo suas crenças, seus valores, seguindo a sua própria evolução e deixando que a outra pessoa siga a sua.Contribuir no que for preciso para o crescimento de quem está ao seu lado sem esquecer de si. amar-se e deixar que a outra pessoa também se ame.Valorizar-se e valorizar quem está com a gente.O amor é uma comunhão, conjugação de lutar juntos(as), sem disputa ou relação de poder. Onde existe relação de poder não há amor, há posse .
há que se ter amizade no amor para que os projetos possam vibrar juntos e serem efetivados em comunhão.Há que se ter amizade no amor para que as tardes sejam mais cheias de Sol, para que o café seja mais saboroso.
o respeito é fruto da liberdade! Não há amor sem liberdade!
a liberdade é o caminho do amor!


Fátima Teles

quinta-feira, 16 de junho de 2016

A Caldeira do Inferno do Amigo Chico de Sinésio- Fátima Teles

Século XX -  Brejo Santo-Ceará - Década de 60

em 1962 era inaugurado o bar caldeira do inferno do proprietário Chico de Sinésio. A caldeira como é popularmente chamada acolhia a classe média de Brejo santo que a frequentava. O bar fica na Praça  Dionísio Rocha de Lucena, centro da Cidade.

ali iam todas as manhãs vários cidadãos conversar .Era um ponto de encontro para adultos e idosos. A caldeira era um bar tipicamente masculino,pois os homens eram o público característico.

todos os artistas , compositores e cantores que vieram  e ainda vem realizar shows em Brejo santo, vão conhecer a famosa caldeira do inferno e tomar uma cerveja gelada que é uma  especiaria do amigo Chico.

atualmente o bar é ponto de encontro de amigos, tendo a presença masculina como freguesia certa.Porém, algumas mulheres também tomam uma cerveja gelada quando querem. a recepção do proprietário Chico é maravilhosa.

A Caldeira do inferno é um ponto turístico de Brejo Santo.

O professor José Teles de Carvalho era considerado o presidente da Caldeira,por ser um dos fregueses mais antigos .Tinha até sua cadeira na caldeira.

a Caldeira neste ano de 2016 fez 56 anos de história !