sexta-feira, 9 de novembro de 2018

A primeira comerciante mulher de fumo de rolo de Brejo Santo-Ce - Fátima Teles


Projeto Brejo Santo:  nosso chão,nosso povo!

Por Fátima Teles, Professora formadora da área de Ciências Humanas da Secretaria Municipal de Educação, Assistente Social, escritora e Poeta.





Maria Anita da Silva

Natural de Brejo Santo, Ceará, nasceu no dia Três de Agosto de Mil Novecentos e Vinte e Sete. Filha do senhor Joaquim Pedro da Silva e da senhora Maria Antônia da Conceição.
Ainda muita nova aprendeu a ler e a costurar com a Professora Isolina que lhe ensinou as letras e o oficio da costura. Estudava pela manhã e a tarde toda passava com a Professora costurando e bordando.

Casou-se aos Dezesseis anos com o senhor Cosmo Martins Leal  e tiveram os filhos:
José Martins Leal
Elita Maria da Silva
Francisco Martins Leal
Antônio Martins Leal ( Coronel)
Manoel Clóvis Leal
João Francisco Leal
Fátima Leal
Estelita Leal
Vitória Leal

Trabalhou muito tempo na agricultura ( arrendava terra), no baixio, plantava arroz e feijão na terra mais alta.
Os passos eram esses: 1-Cavar
                                     2-Semear
                                     3- cobrir
Os filhos todos ajudavam no trabalho da família.

O pai de dona Anita, o senhor Joaquim Pedro ficou conhecido com o primeiro comerciante de fumo de rolo de Brejo Santo.  O negócio chegou a render de tal forma que a Rua Tiburtino Inácio (Rua do Juá), onde morava, ficou conhecida como a Rua dos “Pedro fumeiro”,pois as filhas aprenderam a fazer o cigarro e a comercializar o fumo de rolo. Dona Anita aprendeu e transformou-se em comerciante de fumo de rolo e a fazer e comercializar os cigarros.

Logo depois a família foi vender cigarros e fumo de rolo na Rua José Moreira Araújo , no Centro da Cidade e a Rua ficou conhecida como “ beco do fumo”.

O trabalho sempre foi a marca da vida da senhora Anita. Ela Aprendeu a bater tijolo ( construir o tijolo com as mãos), e com a ajuda de seus filhos , através desse trabalho construiu a sua casa, onde hoje reside.

Com a ajuda do amigo da família e comerciante Joaquim Nicodemos ( Quinco Nicodemos), que doou Cinco carradas de lenhas para ela, isso contribuiu muito para que a mesma investisse ainda mais na construção de tijolos, tanto que chegou a fazer quarenta e cinco milheiros de tijolos. Seus filhos acordavam às duas da manhã para trabalhar com ela, fazendo os tijolos. Foi assim que conseguiu encaminhá-los.

Sua filha Elita ajudava muito a família. Ainda moça nova já trabalhava no comércio para alimentar os irmãos.

Dona Anita herdou do pai a inteligência e a disposição para o trabalho. Aprendeu a fazer cigarro e a vender o fumo de rolo. Trabalhou nesse ramo muitos anos. Chegou a colocar uma fábrica de cigarros no Município de Missão Velha e a ter Cinquenta e sete funcionários.

quando eu realizei a entrevista ela estava costurando uma colcha de retalho e disse que antes de morrer deixaria uma colcha de presente para cada neta.

Fonte: Entrevista com a senhora dona Anita em 2017 , próximo dos seus 90 anos.








Nenhum comentário:

Postar um comentário